Questão de pele... (minhas tatoos)

19 junho, 2012

Ja que o mundo ta girando....

Por muitos e muitos anos, tive resistência por aquilo que considerava não ser verdade absoluta pra mim. Independente de quais verdades fossem essas ( opção sexual, religião ou ideologia politica), eu acabava sendo inflexível as demais manifestações de saberes, conceitos e valores que diferissem dos meus, por motivos sociais, por conceitos que o clã onde pertencia considerar inadequado.
Foi assim com minhas concepções politicas, foi assim com relação aqueles que optavam por uma preferencia sexual fora dos padrões bíblicos, foi assim com relação a veracidade unica que o protestantismo sempre ostentou ter.
Eu estava no caminho, eu era a eleita, eu era a filha e não mera criatura.
Confesso que por muito tempo isso me bastou. De modo superficial e sem reflexão, me convinha estar ali. Afinal eu era escolhida.
Mas que tipo de escolha era essa que me fazia ter privilégios, que me permitia errar e sempre ser perdoada desde que eu fingisse ter, ou de fato tivesse um coração quebrantado?
Erros e mais erros, situações e mais situações de cunho moral começaram a chamar minha atenção pra as incoerências e injustiças daqueles q diziam amar ao próximo como a si mesmos, daqueles q diziam ser os escolhidos e eleitos.
Minha vida, de repente , foi tomada por discursos que privilegiavam e enalteciam o individualismo e o egocentrismo em nome de Deus.
Honra, excelência, prosperidade e ate´nobreza começaram a fazer parte de discursos diários, chavões de  fé de quem apenas possui direitos que como filho podem reivindicar do próprio Pai.
Honras começaram a ser dadas ao homem, enquanto Deus, assumia um papel de servo. Alguém que tinha que cumprir a vontade humana, pois era assim  que a humanidade poderia contemplar a gloria e a excelência.
Por motivos culturais e tradicionais que tive ao longo da minha criação, tenho algumas resistências (ainda) em romper com questoes que foram cunhadas na minha mente ao longo dos anos.
Graças aos ceus, posso me considerar uma pessoa flexível que nao se detém nos preconceitos nem tampouco na covardia de se buscar e levantar bandeiras que se acredita.
Hoje falo para os quatro ventos, que sou orgulhosa por ter em minha vida um sobrinho gay, assim como dois amigos que estão sempre prontos qdo eu preciso. Sem a presença forçada do convívio, eu sei que posso estar c eles sempre que o meu coração desejar, e que nenhum deles me julgará por minhas decisões, antes vao me amar e me apoiar independente de quais sejam as minhas escolhas. 
Isso não quer dizer q eles sempre concordarão comigo. Antes, quer dizer que o amor ao invisível , nao sobrepõe o amor ao próximo, isso quer dizer q a pratica é coerente ao discurso, e que jamais eles diriam que me amam ou me chamariam de irmã, amada ou querida só para cumprir um protocolo. 
Posso hoje tambem, levantar minhas bandeiras livremente, declarar questões polemicas como o aborto, o uso de celulas tronco, a legalização da maconha e o apoio a comunidade LGBT , sem receio de ser tida como pecadora ou incoerente naquilo que professo.
Ironia não?
Ações incoerentes sendo apontadas e julgadas pelos próprios senhores da incoerência!
Ha pouco, numa conversa, fiquei sabendo de alguns acontecimentos na casa dos santos. dos eleitos. Normalmente nao quero nem ter noticias, quero ser fiel ao sentimento que habita meu coração . A apatia.
Meus deuses, são situações de ar asco. E ao mesmo tempo que sinto nojo sinto-me feliz por não pertencer mais ao  mesmo clã, por nao comer mais da mesma mesa, tanto em nivel físico como espiritual.
Humildes sendo enganados, símplices sendo coagidos, indiretinhas em redes sociais, auto louvação em nome de Deus.
Aff...
Mas uma das minhas maiores rupturas, aconteceu ontem, dia 18 de junho de 2012. Tenho tido o privilegio de contar com uma amiga que tem me abençoado de uma maneira sobrenatural. Alguem a quem respeito e tenho um amor de graça, um respeito pelo profissionalismo e um carinho q só pode ser algo divino.
Uma pessoa que nao ostenta uma vida de aparência, nem tampouco mostra aquilo que nao é. Tem coração de menina e a garra de um gigante. Que tem "zoios" transparentes e não consegue esconder o que pensa, o que sente.
Minha amiga Deise, tem me ensinado que  bem alem de toda vaidade, que bem alem de toda agitação do dia a dia, devemos nos centrar em nos mesmos. Devemos ser conscientes e insistentes naquilo que sabemos q é o melhor para nós.
Ontem me vi diante de uma entidade, recebendo conselhos e explicações sobre os acontecimentos da vida.
Sem reservas, sem preconceitos, sem pesares, estava eu ali, do lado extremo de tudo que sempre preguei e marginalizei.
Parecia uma criança, ansiosa, contente e completamente ignorante olhando pra minha amiga, pedindo para que ela me dissesse como me comportar diante de tudo aquilo.
Sai com um contentamento sobrenatural. Não pelo rito, mas pelo passo de me dispor, de me abrir, de receber o abraço do paizinho e poder dize-lo q eu estava feliz de estar ali, feliz por mim mesma, feliz pela flexibilidade e curiosidade que me permitiram me despojar de conceitos antigos para conhecer algo ate entao desconhecido.
Como ja disse, nao desejo mais professar nenhum tipo de religião. Tenho encontrado na yoga, o encontro com o deus q ha em mim, reconhecendo o deus em cada ser vivo que me cerca.
Contudo, nao poderia deixar de compartilhar nesse meu espaço essa minha mais nova experiencia. 
Agradeço aos céus pela sabedoria das pessoas que estão a minha volta , pessoas que de fato me importo e quero bem. Pessoas que me amam incondicionalmente, que  não me julgam, que me ouvem, e que ainda que estejam surpresas, escutam atentas minhas experiencias mirabolantes.
Se ha algo para agradecer nesse tempo, quero agradecer pelo modo com que Deus, tem trabalhado no meu coração, me fazendo ser quem sempre almejei. Ainda que com todas as dificuldades encontradas no meio do caminho, sei que meu coração tem atingido degraus de sabedoria e harmonia, comigo mesma, com o divino, e com os outros.
Quero ser desprovida de religiosidades, quero ser aberta para o novo, quero receber o bem, pra poder de fato fazer o bem. Independente de quem atravessar meu caminho.

PS: Favor xiitas regiliosos de verdades absolutas... nao percam tempo comentando meu post, pois comentários preconceituosos, ou de julgamento de cunho eterno nao serão bem vindos!!!
Bjs Carpe Diem







4 comentários:

Anônimo disse...

Assim como disse para a Mel ... adoro o seu jeito de escrever, e cada vez que eu me deparo com esse Positivismo eu fico FELIZ por quem seja, uma pessoa distante, uma desconhecida conhecida, um (a) amigo (a), entre tantas pessoas q eu conheço. Buscar aquilo que te FAZ BEM é parte da nossa caminhada. Busca um DEUS que TE FAZ BEM independe de Religião e SIM de AMOR que vc tem por ELE. Vc conhece minha opinião sobre religião e respeito a sua posição por saber q vc tem isso não como um propósito e sim como um DEUS que te faz bem ...
Ps. se ficou confuso o que eu escrevi me desculpe, mas sou bom em falar e não em escrever kkkkk

Fique com DEUS.

Bjs

Allan Wolkowicz

Michela disse...

Que bacana Dazinha! Flexibilidade é tudo! Desejo sempre o melhor pra vc. Sempre dissemos que o nosso Deus é diferente dos outros,né? Mas acho que não.. acho que só não gostamos de determinadas coisas ditas e ponto. Sem mais falácias. Eu quero só o seu melhor. Sempre! Se encontrou a força ou achou bom ter ido, isso é mto importante. Linda pessoa!!! Bjos no coração

William de Oliveira Galdino disse...

"Quando achamos que sabemos todas as respostas, vem a vida e muda todas as perguntas" - Mário Quintana

Marcelo Juris disse...

Bacana Dá ,

É uma estrada e tanto esta que vc trilhou de desconstruir preconceitos. Para quem há tempos atrás não aceitava colocar o véu pra entrar na mesquita ... rsss

Ver a si e a todos os demais como seres culturais. Todos iguais em essência com suas diferenças segundo o rito, o lugar, a família, enfim, a cultura.

O luterano que nasceu em Berlim provavelmente estaria entoando mantras se tivesse nascido no Tibet !

E Deus é de todos. Deus não tem religião. É o Deus da diversidade. Por isso espalhou os grupos humanos por diferentes lugares na Terra.